Não vou me submeter

tumblr_mm7yg1fdYo1rbaim8o1_500

O Estado

O patriarcado

E o burguês alienado

Oprimem o marginal

Pelo poder do capital

 

Chega a polícia

Bem armada

Pelo bem da Pátria Amada

E espanca o negão

Pra proteger bom cidadão

 

Não vou

Não vou, não vou

Não vou me submeter (2x)

Ao seu Império

Seu poder

Não vou

Não vou, não vou

Não vou me submeter (2x)

Ao seu Império

Seu poder

 

E aumenta a pobreza

E concentra e concentra

A riqueza

E concentra a riqueza

E aumenta e aumenta

A pobreza

 

Um homem engravatado

Será mais respeitado

Vou lutar pela anarquia

Destruir essa hierarquia

De vermes

De predador

De oprimido

E de opressor

 

O político articulado

Jamais será um maltratado

Nesse estado o inválido

É o pobre

É o coitado

 

Não vou

Não vou, não vou

Não vou me submeter (2x)

Ao seu Império

Seu poder

Não vou

Não vou, não vou

Não vou me submeter (2x)

Ao seu Império

Seu poder

 

No morro a UPP

No palácio, no palácio o PT

 

De noite o abrigo

De dia a polícia

Eu não agüento mais

Não represento nenhum perigo

 

Domingo tem a igreja

Com a evangelização

Já não suporto mais

Essa tal de disciplinarização

 

Dos corpos

Das mentes

De tudo que é gente

Que é quente

Que sente

Toda essa hipocrisia

De ser ou não ser

Pelos méritos da meritocracia

 

(Putinhas Aborteiras)

Anúncios
Esse post foi publicado em Letras. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s